sexta-feira, 18 de agosto de 2017

A Caridade

Meus amados, nosso trabalho, para ser sustentado, requer uma atenção muitíssimo especial de cada um de vocês. Não falo da doação apenas da moeda corrente que sustenta em parte nossa ação enquanto chelas neste plano, eu me refiro a uma moeda universal mais valiosa que ouro, diamantes ou qualquer tesouro pertencente ao plano material em que nos encontramos ancorados por meio dessa encarnação. Eu me refiro a moeda do sentimento fraterno e o pensamento altruísta que enobrece a alma daqueles que encontram-se contritos com a presença divina em seus corações.

Este sublime tesouro espiritual que é a fonte imorredoura de amor, sabedoria e poder em nossos corações é o que nos mantém conectados ao nosso plano divino e aos mestres ascensos e os demais seres da Grande Fraternidade a que pertencemos. Este é o verdadeiro sustento de nosso trabalho, as doações financeiras são necessárias para o nosso trabalho aqui, mas ainda mais necessária é a exteriorização do sentimento fraterno e do pensamento altruísta. A exteriorização dos mesmos só pode ser confirmada através da oração em ação que conhecemos pelo nome de caridade.

Dentro deste templo, ao qual participamos como chelas, nos mais diferentes graus, precisamos primar pelo livre exercício do amor, sabedoria e poder divinos. Precisamos entende-los exatamente nesta ordem:

Primeiro, o Amor. O sentimento mais importante. Não o amor dos românticos, mas o amor da fonte, o amor fraterno, o amor obediente a Deus, o amor que é força magnética irresistível e que quer sempre o bem de todos.

Segundo, a sabedoria. Através do sentimento sublime do amor, nós nos conectamos aos Mestres do plano etéreo e nos tornamos receptivos ao chamado do Cristo, que nos convida ao renascimento místico através do batismo no fogo divino do Espirito Santo. Mortos como pecadores e renascidos como filhos e filhas de Deus despertamos e adentramos o portal do conhecimento e, posteriormente, o portal da sabedoria.

Terceiro, o poder. O amor e a sabedoria nos empoderam espiritualmente e banham as outras áreas de nossa vida (mente, sentimento e matéria), o poder criativo de Deus que nos é transmitido através do bastão da iniciação na sagrada ordem e a revelação da nossa parte no plano divino nos dão controle sobre as circunstancias exteriores e empoderamento diante das ilusões da mente, das ondas emocionais que tanto arremessam a humanidade de um lado para o outro: nos extremos do ser, das fantasias que nascem da presunção do saber sem saber e apego ao poder pelo poder. O poder divino tem propósito, e seu proposito é o bem supremo.

Queridos chelas, a quem tenho a honra de auxiliar em nome de Saint Germain, busquem meditar em como está sua relação com as três joias ensinadas pelo Senhor do Mundo ( Budda, Dharma e Sangha), que é a base para toda Grande Fraternidade Branca. Se houver algum bloqueio, peçam a Divina Presença em seus corações que libertem aquela área em suas vidas onde o amor, sabedoria e poder divinos precisam triunfar para sua própria realização na luz.

Um forte abraço a todos,

Mestre Ferdinando Taveira.

Namastê!

quarta-feira, 26 de julho de 2017

Tattva Bodha: o texto sagrado do Yoga





O Tattva Bodha é um texto sagrado do Yoga, composto por Shankara, um mestre yogi, na intenção de deixar claro o que traziam os Vedas, os ensinamentos da fisiologia Yogi.
O primeiro verso deste texto trata do ensinamento do Guru ao Discípulo, e neste verso é dito o seguinte:
Existem 4 qualidades que o discípulo deve ter para obter o conhecimento, são elas:



- DISCERNIMENTO - para saber o que é eterno e o que é não eterno.
- DESAPEGO - para entender que deve aproveitar o fruto de suas ações e que esse fruto não depende só de si.
- DISCIPLINA - para que se leve uma vida baseada em valores, pois assim sendo, se torna capaz de observar a si mesmo, aprendendo assim a agir no lugar de reagir.
- DESEJO - entendo que a vida precisa de desejos para ser vivida, mas não deve ser escravo desse desejo.
Exercitando essas quatro qualidades, passamos a perceber a vida de forma mais leve. É um exercício diário, difícil de se atingido, mas a simples tentativa de obtê-los já nos traz grandes melhoras.
Compartilho com vcs isso com todo meu carinho.



Namastê!
Angela Pinheiro

Instrutora de Yoga e Discípula do Templo Universal Despertar.

sexta-feira, 30 de junho de 2017